16 de maio - 19h30 às 21h

Local: Matuto Bar, Rua 242 número 190, Setor Universitário

Um laboratório na palma da mão

A microfluídica é uma ciência que manipula pequenos volumes de fluídos (de microlitros a picolitros), que são transportados por meio de microestruturas fabricadas em um dispositivo chamado de microchip. Estes dispositivos podem integrar várias funções de laboratórios em um único microchip, produzindo o que é conhecido como “lab-on- a-chip” ou laboratório em um chip. A integração de processos químicos e bioquímicos em microssistemas de análises automatizados simplifica e agiliza diversas análises químicas.

Algumas vantagens de se realizar análises químicas em escala miniaturizada são: a redução na quantidade de amostra e reagentes, baixo consumo de energia e portabilidade dos dispositivos que apresentam os resultados com a mesma confiabilidade e precisão dos sistemas de análises em laboratórios convencionais.

A microfluídica apresenta muitas aplicações, que vão desde as ciências da vida à indústria farmacêutica e à biomedicina. Vamos falar de algumas aplicações destes dispositivos, como por exemplo no desenvolvimento de testes para diagnósticos rápidos de doenças, detecção de patógenos, análises genéticas e reconhecimento humano. Uma outra vantagem do processamento de amostras em microchips é que ele pode ser adaptado para utilização em conjunto com smartphones, ampliando a gama de aplicações e possibilitando levar, por exemplo, testes laboratoriais aos recantos mais remotos do País.
 

Gabriela Rodrigues Mendes Duarte

Bacharel e Licenciada em Química pela Universidade Federal de Goiás (UFG), onde também obteve o título de mestre em Química. Fez doutorado no Instituto de Química de São Carlos da Universidade de São Paulo (IQSC/USP) e durante o doutorado fez estágio (sandwich) na University of Virginia (USA). Atua na área de Química Analítica, principalmente nos seguintes temas: Microfluidica, Eletroforese Capilar, Microfabricação, Análises Genéticas em microchip.  Atualmente é Professora Adjunta  no Instituto de Química da Universidade Federal de Goiás.

Ellen Flavia Moreira

Bacharel em Química pela Universidade Federal de Goiás (2010). Possui mestrado (2012) e doutorado (2016) em Química (Área de concentração: Química Analítica) realizado no Laboratório de microfluídica e eletrofose. Realizou estágio de doutorado no exterior (sandwich) na University of Texas at San Antonio. Atualmente é Técnica de laboratório em Química na Universidade Federal de Goiás - Campus Jataí. Tem experiência na área de Química Analítica com ênfase em microfluídica, instrumentação Analítica, Microfabricação, eletroforese e Detecção Eletroquímica. Atua no desenvolvimento de microssistemas eletroforéticos, microdispositivos a base de papel voltados para investigação de espécies clinicamente relevantes.