17 de maio - 19h30 às 21h

Local: Quiosque Colombina, Alameda Ricardo Paranhos, Qd 249, Lt 14, Setor Marista

Da Tuberculose à Zika: Potenciais tratamentos, vacinas e outros petiscos

Você sabia que um terço da população mundial possui a bactéria que causa a tuberculose? E que a tuberculose, uma doença considerada “controlada”, atualmente causa milhares de mortes todos os anos? Sim, infelizmente a situação atual da tuberculose é alarmante, e a Organização Mundial de Saúde relata que vivemos uma epidemia desta doença infecto-contagiosa, transmitida de pessoa para pessoa através de gotículas expelidas pela fala, tosse ou espirros de indivíduos infectados.

 

Ainda não existem vacinas disponíveis para prevenir a infecção pelo Mycobacterium tuberculosis, a bactéria causadora dessa doença. Com relação aos medicamentos utilizados para tratar os pacientes com a doença ativa, a maioria foi descoberta há mais de 50 anos, causam muitos efeitos indesejáveis e o tratamento dura de 6 a 9 meses. Por isso, é urgente a descoberta e desenvolvimento de vacinas e novos medicamentos que possam controlar essa doença devastadora.

 

Além da tuberculose, nós vamos falar também sobre pesquisa e descoberta de substâncias candidatas a fármacos para outras doenças infecciosas, como Zika, leishmaniose, esquistossomose e outras denominadas de doenças negligenciadas. Por isso, se você tem curiosidade em entender um pouco mais sobre como nascem e se desenvolvem novas vacinas e novos medicamentos para doenças que afligem milhares de pessoas no mundo, convidamos você a participar dessa viagem científica! Não importa se você é um profissional da saúde, um cientista, um atleta, um estudante, um advogado... todos são bem vindos, incluindo seus comentários e dúvidas! Ah, e claro, aproveitaremos a oportunidade para discutirmos questões relacionadas a gênero e reforçarmos a importância das mulheres na ciência!

Carolina Horta Andrade

Graduação em Farmácia pela Universidade Federal de Goiás e doutorado em Fármacos e Medicamentos pela Universidade de São Paulo, com doutorado-sanduíche em Química Medicinal e Computacional na University of New Mexico, EUA. Desde 2010, é Professora Adjunta da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Goiás. Já publicou mais de 42 artigos em revistas científicas indexadas e 2 capítulos de livros. Tem experiência em Química Medicinal, com ênfase em métodos computacionais de planejamento de fármacos (CADD), como QSAR, triagem virtual, e modelagem in silico de propriedades farmacocinéticas e de toxicidade. Atualmente é Vice-Diretora da Divisão de Química Medicinal da Sociedade Brasileira de Química (SBQ, gestão 2016-2018). Em 2014 recebeu o prêmio "Para Mulheres na Ciência" da L'Oreal-UNESCO-ABC no Brasil. Em 2015 recebeu o prêmio internacional "International Rising Talents" da Fundação L'Oréal e UNESCO. Em 2016, foi eleita membro afiliado à Academia Brasileira de Ciências (ABC).

Ana Paula Junqueira Kipnis

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Goiás (1989), mestrado em Imunologia pela Universidade de São Paulo (1991) e doutorado em Imunologia pela Universidade de São Paulo (1998). Pós-doutorado (2001 a 2003) na Colorado State University- CO- USA, sendo bolsista do NIH. Estágio senior/ pos Doc no Einstein Hospital of Medicine, New York, USA (2012). Atualmente é professor Associado da Universidade Federal de Goiás, Revisor das revistas - Journal of Infectious Diseases, Biomedical Central infectious diseases, Clinical and Vaccine Immunology, Vaccine, MIOC e PLOs One. Consultora de projetos do NIH, CNPq, FAPEG, e FAPESP. Atualmente é Coordenadora do Programa de Pós Graduação em Medicina Tropical e Saúde Pública-UFG, Nível 5 da CAPES. Tem experiência na área de Imunologia, com ênfase em Imunologia Aplicada, atuando principalmente em tuberculose estudando novos métodos de diagnóstico, tratamento e de acompanhamento dos doentes. Atua também estudando as interfaces entre obesidade e o desenvolvimento de doenças crônicas.